quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Tripas à moda do Porto

Bom dia a todos!

Só agora é que me dei conta que ainda não tinha publicado aqui uma receita que faço frequentemente já há vários anos: Tripas à moda do Porto (que aqui em casa acabamos por chamar simplesmente Feijoada).

Aprendi esta receita com a minha sogra e é um prato mesmo saboroso que faz parte das nossas ementas favoritas.

Não é nada dificil de fazer, apenas leva tempo devido à cozedura das carnes. Mas vale a pena o esforço!

Visto sermos só dois aqui por casa, costumo fazer uma grande panela e depois congelo em porções individuais para irmos comendo durante os meses de Inverno.



- 500g de feijão branco 
- 2 pés de porco
- 500g orelhas de porco 
- 500g de carne de porco (uso sempre da pá)
- 500g de chouriço de carne (não picante) cortado às rodelas
- 300g de toucinho fumado cortado aos cubos
- 500g de dobrada
- 1,5 cebolas
- 3 folhas de louro grandes
- 1 alho francês
- 10 cravinhos
- 1 ramo de salsa
- 2 dentes de alho
- sal grosso 
- polpa de tomate (aproximadamente 200ml)

Na véspera, ponha o feijão de moho em água fria durante uma noite inteira. Salgue as carnes  com sal grosso (pés, orelhas e a carne de porco) e deixe reposar no frigorifico durante uma noite inteira.

No dia seguinte, despeje a água do feijão, passe-o por água corrente e ponha-o numa grande panela.
Cubra com água fria, adicione uma colher de sopa de sal grosso e uma folha de louro e leve ao lume. Quando levantar fervura, retire a espuma que se começa a formar, baixe o lume e deixe cozer durante aproximadamente 15 minutos. Prove o feijão e quando estiver cozido mas ainda bem croquante, desligue o lume e retire a panela. Deixe reposar dentro do caldo (vamos utlisar uma parte dele para a feijoada).

Passe a dobrada por água, coloque-a numa panela com uma folha de louro, cubra de água fria e deixe levantar fervura. Deixe cozer durante 10 minutos e escorra. Corte a dobrada em cubos pequenos e reserve.

Retire as carnes salgadas do frigorifico e transfira-as para uma grande panela sem passá-las por água para não perder o sal. Espete os cravinhos numa metade de uma cebola e junte à panela. Adicione também uma folha de louro, um ramo de salsa e um alho francês. Cubra tudo com água fria e leve ao lume. Quando começar a fever, diminua o lume (mas sempre mantendo a ferver) e vá retirando a espuma que se vai formando (são impurezas das carnes). Deixe cozer durante 1 hora. Retire as orelhas de porco e deixe cozer o resto das carnes durante mais 30 minutos. Retire as carnes e filtre o caldo para retirar os legumes e o resto das impurezas (vamos aproveitar uma parte deste caldo para mais tarde).

Corte as orelhas em cubos pequenos, retire o máximo de carne que conseguir dos pés de porco e corte também a carne aos cubos pequenos.

Refogue uma cebola e os dentes de alho picados num fio de azeite (numa grande panela).
Junte o chouriço e o toucinho. Misture e deixe dorar durante alguns minutos.

Regue com a polpa de tomate e junte a carne de porco e o que aproveitou dos pés de porco (guarde a orelha para mais tarde). Junte duas conchas de caldo de carne, misture bem e deixe cozer durante aproximadamente 20 minutos.

Adicione o feijão, a dobrada e os pés de porco. Junte um pouco da água de cozedura do feijão até que o molho cubra as carnes. Tape a panela e deixe cozer a lume brando durante aproximadamente 30 minutos.

Desligue o lume e deixe reposar durante 5 minutos antes de servir.

Acompanha-se com arroz branco.

Bom apetite!





terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Panqueca japonesa Okonomiyaki

Olá a todos!

Como já devem ter notado, adoro a cozinha japonesa e tento reproduzir em casa os meus pratos preferidos. Tenho a sorte de viver numa cidade (Montréal) onde encontro facilmente todos os ingredientes asiáticos o que necessito para fazer estas receitas.

Tinha no frigorifico uma couve branca e lembrei-me de experimentar esta receita, que é muito popular no Japão.

São umas panquecas deliciosas originárias da cidade de Osaka mas reproduzidas em muitas outras cidades, com várias adaptações e ingredientes diferentes. A base é sempre a mesma: couve branca numa massa parecida à dos crepes. É uma receita ideal para aproveitar as sobras porque cada pessoa pode adaptar e adicionar outros ingredientes.

Encontrei a receita num dos meus sites preferidos que consulto regularmente e de onde já experimentei várias receitas sempre sem decepção: https://www.justonecookbook.com/okonomiyaki/

Fiz algumas alterações visto que não tinha todos os ingredientes em casa mas as panquecas ficaram ótimas e foram muito apreciadas aqui em casa!



Para 4 panquecas:
- 120g de farinha
- 1/4 colher de chá de sal
- 1/4 colher de chá de açúcar
- 1/4 colher de chá de fermento em pó
- 100g de tofu (suave ou firme - não aconselho o extra-firme nesta receita) 
- 180ml de caldo Dashi frio (dissolva 1 colher de chá de dashi em pó em 180ml de água a ferver de deixe arrefecer)
- 1 couve pequena (750g de couve depois de picada)
 - 4 ovos
- 2 colheres de sopa de óleo para fritar

Para o molho que vai pincelar nas panquecas fritas:
- 1,5 colher de sopa de açúcar
- 2 colheres de sopa de molho de ostra
- 4 colheres de sopa de ketchup
- 3,5 colheres de sopa de molho Worcestershire 

Para terminar as panquecas:
 - maionese
- flocos de bonito seco (katsuobushi)

Comece por preparar a massa, visto que tem que reposar pelo menos 1 hora no frigorifico: misture num grande recipiente a farinha, o sal, o açúcar e o fermento. 
Desfaça o tofu com um garfo para formar uma papa cremosa e junte à farinha.
Adicione agora o caldo dashi progressivamente, batendo com um batedor de varas.
Cubra com pelicula aderente (ou com a tampa do recipiente que usou) e deixe reposar no frigorifico durante pelo menos 1 hora.

Durante esse tempo, pique a couve bem fininha e reserve ao ar livre para secar um pouco.

Prepare o molho que vai pincelar nas panquecas depois de fritas: numa tigela, misture bem o açúcar, o molho de ostra, o ketchup e o molho Worcestershire. Reserve.

Se usar a nossa maionese habitual (ocidental), retire-a do frigorifico antes de começar a fritas as panquecas para ela ficar um pouco mais liquida. O ideal seria usar maionese japonesa mas nem sempre se encontra. Para esta receita, usei um recipiente de maionese com uma ponta bicuda para poder desenhar riscos em cima da panqueca como se faz tradicionalmente no Japão.

Retire a massa do frigorifico e junte a couve e os ovos. Envolva tudo muito bem.

Aqueça um fio de óleo numa frigideira e meta uma grande concha de massa.
Forme uma panqueca redonda, espalmando ligeiramente a massa, cubra com uma tampa e deixe fritar a lume brando durante 5 minutos (as panquecas devem ficar bem douradas por isso adapte a intensidade do seu lume em função do resultado pretendido).
Retire a tampa, vire a panqueca, volte a cubrir e deixe fritar mais 5 minutos.
Vire uma última vez a panqueca, cubra de nova e deixe fritar 2 minutos.

Retire para um prato e repita este procedimento até gastar a massa toda.

Enquanto a panqueca ainda está quente, pincele com um pouco do molho que preparou, cubra com riscos de maionese e polvilhe com alguns flocos de bonito.

Sirva imediatamente.

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Sopa miso

Olá a todos!

Estou tão contente de apresentar-vos hoje esta receita de sopa miso.

Gosto imenso desta sopa, que é a base da alimentação japonesa, principalmente ao pequeno-almoço.

Antigamente, os japoneses costumavam dizer que mais vale gastar dinheiro na sopa miso que no médico.

A sopa miso é muito saudável e é rica em vitaminas e probióticos.
Trata-se de uma pasta à base de grãos de soja e de cevada ou de arroz (dependendo das receitas).

Depois de se fazer a caldo de base, pode-se adaptar a sopa ao seu gosto, usando os ingredientes da sua preferência: cogumelos, couve, marisco, tofu, algas, etc.

Até agora, comprava sempre uns saquinhos instantâneos para fazer esta sopa mas percebi através do que via na Net que afinal a receita original desta sopa é muito fácil e que encontro todos os ingredientes aqui em Montréal nos supermercados asiáticos.

Decidi então experimentar e ficou absolutamente delicosa!

Baseei-me na receita que encontrei aqui: https://www.justonecookbook.com/homemade-miso-soup/

Para 2 porções individuais:
- 5g de alga Kombu
- 2 cups de água (480ml)
- 1/2 cup de flocos de bonito desidratados (5g)
- 1 mão cheia de cogumelos (usei cogumelos shimeji)
- 1 colher de sopa de alga wakame desidratada
- 2 colheres de sopa de pasta miso (usei miso amarelo que é de intensidade média - Shinshumiso)
- 1 mão cheia de cubos de tofu fresco (firme)

Encha uma pequena panela com a água (480ml). Mergulhe a alga Kombu e deixe marinar durante 30 minutos (idealmente durante uma noite inteira).

Leve a panela ao lume, deixe aquecer e retire a alga precisamente antes de a água começar a ferver. (Pode deitar a água fora ou aproveitá-la para outras receitas japonesas, como por exemplo, furikake - tempero para arroz para sushi).

Durante este tempo, mergulhe a alga wakame numa tigela com água durante 10-15 minutos para rehidratá-la completamente. Escoe e reserve.

Deixe o caldo levantar fervura e adicione os flocos de bonito. Deixe cozer durante 1 minuto, desligue o lume, tape e deixe reposar durante 10 minutos.

Retire os flocos, reservando o caldo.

Levante fervura novamente e junte os ingredientes que escolheu para a sua sopa miso. No meu caso, adicionei nesta etapa os cogumelos e deixei cozer no caldo durante 5 minutos.

Desligue o lume e incorpore progressivamente a pasta miso ao caldo com ajuda de um pequeno coador, para ir dissolvendo a pasta sem mergulhá-la diretamente no caldo.

Junte agora os cubos de tofu, tape e deixe reposar.

Meta a alga wakame nas tigelas de sopa e encha com a sopa miso.

Bom apetite!


segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Creme de ameijoa

Olá a todos!

Estou de volta com mais uma receita saborosa e super fácil.

Este creme de ameijoa é uma receita tradicional da costa Este canadiana e americana (Clam chowder).

Cá por casa, é uma das nossas sopas preferidas mas nunca tinha feito esta receita aqui em casa.

Estes dias de Outono são ideias para este tipo de sopas cremosas e decidi experimentar a receita que encontrei aqui: https://lebongoutfraisdesiles.com/blog/2019/03/chaudree-palourde-traditionnelle

Multipliquei a receita por 2 para dar para toda a semana.


- 4 latas de ameijoas cozidas de 140g cada uma (guarde a água)
- 1l de leite
- 250ml de natas
- 3 batatas grandes/médias cortadas aos cubos pequenos
- 4 colheres de sopa de manteiga
- 6 colheres de sopa de farinha
- metade de uma cebola grande picada
- 100g de aipo picado
- pimenta preta moída

Refogue o aipo e a cebola picados na manteiga até ficarem translucidos mas ainda ligeiramente croquantes.
Polvilhe com a farinha e mexa bem.
Junte as batatas e mexa de novo.
Regue progressivamente (sempre mexendo) com o leite, as natas e a água das latas de ameijoas.
Tempere com pimenta 
Misture bem e deixe cozer a lume brando até as batatas estarem cozidas (aproximadamente 10 minutos). Vá sempre mexendo para não pegar ao fundo.
Junte as ameijoas, desligue o lume, mexa bem e deixe reposar alguns minutos antes de servir.

terça-feira, 29 de outubro de 2019

Salada de couve branca cremosa

Aqui no Canadá esta salada de couve é muito popular e resolvi fazê-la em casa porque as que comprava no supermercado já prontas eram demasiado doces para nós e acabámos por enjoar.

Ficou tão boa que faz parte agora integrante das receitas que fazemos frequentemente aqui em casa.



- 1/4 de uma couve branca

- 1 cenoura

- 65ml de maionese (pode substituir por iogurte natural)

- 30ml de vinagre branco

- 1 colher de chá de molho inglês


Corte a couve em juliana fininha e rape a cenoura.

Numa pequena tigela, misture os ingredientes do molho com um batedor.

Misture o molho com a couve e a cenoura e envolva bem.

Deixe reposar idealmente 4 horas antes de servir.

segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Almôndegas recheadas com queijo

Olá a todos!

Hoje trago-vos uma receita improvisada, que foi feita para aproveitar sobras de carne picada depois de ter feito cannellonis.

Saiu muito bem e deu para aproveitar também um resto de queijo ralado que tinha no frigorífico. Nunc se deita nada fora aqui em casa! :)

Peço desculpa pela má qualidade da foto mas foi tirada mesmo em cima da hora e já estava escuro lá fora...

Para 6 almôndegas:

- 500g de carne picada
- 6 colheres de sopa de queijo ralado (udei Emental)
- 3 colheres de sopa de molho inglês (Worcestershire)
- 6g de sal fino
- algumas pitadas de pimenta preta em pó - 1 colher dr sobremesa de alho em pó

Tempere a carne com sal e pimenta e misture bem.

Divida a carne em 6 partes iguais.

Forme uma almôndega com cada parte, abra um buraco no meio, recheie com 1 colher de sopa de queijo e volte a fechar.

Repita a operação com as restantes partes.

Frite as almôndegas numa frigideira antiaderente, polvilhe com alho em pó e regue com o molho inglês durante o tempo que está a fritar. No meu caso, não achei necessário adicionar nenhuma gordura mas se quiser pode fritá-las num fio de azeite.

Deixei fritar aproximadamente 5 minutos de cada lado.

Bom apetite!

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Entrecosto no forno

Olá a todos,

Com estes dias chuvosos e as temperaturas que não param de subir e descer, acho que já podemos declarar oficialmente que estamos no Outono ;)

E durante estes dias chuvosos de Outono, só apetece é pratos no forno bem aconchegantes, não é?

É por isso que resolvi improvisar este prato bem simples e fácil mas muito apetitoso, que servi com puré de batata.




- 2kg de entrecosto
- 200ml de azeite
- 2 grandes dentes de alho
- 26g de sal
- 1 pitada de pimenta preta
- 2 folhas de louro
- 1 colher de sobremesa bem cheia de colorau em pó

Préaqueça o forno a 200ºC.
Num copo alto (uso o copo que veio com a varinha mágica), meta todos os temperos e triture tudo muito bem com a varinha mágica.
Unte o entrecosto com esta mistura e disponha-o num grande tabuleiro. Regue com o que sobrou do molho e leve ao forno durante 45 minutos.
Active a função « Broil » ou « Grill » do forno e deixe assar durante mais 15 minutos para o entrecosto ficar tostado.
Desligue o forno e deixe reposar durante 5 minutos antes de servir.

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Bolo de caneca (Mug cake) com ameixas

Bom dia a todos e bom inicio de semana!

Hoje entramos oficialmente no Outono, que é a minha estação preferida! :)

As temperaturas mais frescas (aqui temos Verões muito quentes, sempre acima dos 30C...), as folhas das árvores que mudam de cor, o regresso das refeições mais reconfortantes feitas no forno, o aconchego da nossa casa durante uma noitinha mais fresca, os aromas das folhas secas... adoro!

E para celebrar o inicio desta linda estação, trago-vos uma receita aconchegante que é muito prática para os pequenos-almoços ou lanches da semana.

Trata-se de um bolo de caneca (ou Mug cake). Conhecem?

Tinha lá em casa bastantes ameixas do jardim e resolvi adaptar esta receita que encontrei na Internet (aqui: http://www.browniebites.net/peanut-butter-cinnamon-oatmeal-mug-cake-giveaway/).

Ficou super boa e repeti 2 vezes na mesma semana!





- 4 colheres de sopa de leite (pode usar leite de amêndoa se preferir)
- 1 colher de sopa de óleo
- 1 colher de sobremesa de açúcar
- 3 colheres de sopa de farinha
- 1/2 colher de fermento em pó
- 1 pitada de sal
- 1 pitada de canela
- 1 colher de sopa de manteiga de amendoim
- um pouco de manteiga para barrar a caneca

Numa tigela, comece por misturar os ingredientes secos: a farinha, o fermento, o açúcar, o sal e a canela.

Junte de seguida o resto dos ingredientes e misture bem.

Unte a caneca com manteiga.

Retire o caroço das ameixas, corte-as em dois e ponha-as no fundo da caneca.

Encha a caneca com a preparação anterior e leve ao micro-ondas durante 2 minutos a potência máxima.

Deixe arrefecer alguns minutos e já está pronto!

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Cápsulas de café reutilizáveis

Olá a todos!

Hoje não é dia de receita. Hoje é dia de mais uma pequena sugestão para produzir menos lixo e menos poluição no nosso quotidiano.

Como sabem, não sou adepta de mudanças muito radicais e apenas tento mudar pequenas coisas que realmente fazem a diferença mas que continuam a ser práticas e que não exigem muito esforço.
Hoje decidi falar-vos das cápsulas de café reutilizáveis.

Aqui em casa, adoramos café e não dispensamos um bom expresso ao fim do almoço. Já vos tinha falado num artigo anterior (AQUI) sobre a cafeteira lixo zero que uso para os nossos cafés do pequeno-almoço. Neste artigo, vamos falar das cápsulas para fazer expressos.

Já não é supresa para ninguém o facto das cápsulas de café terem um impacto considerável no meio ambiente visto serem descartáveis e feitas de aluminio. O aluminio até nem é das piores matérias visto poder ser reciclado inúmeras vezes. No entanto, nem todas as regiões possedem instalações que possam reciclar as cápsulas em aluminio (têm apenas os dispositivos habituais para as latas) e a maior parte delas acabam infelizmente em descargas.

Para além disso, melhor que reciclar é mesmo reduzir o consumo de artigos descartáveis.
E foi isso que decidimos fazer aqui em casa. Já há alguns meses que comprámos cápsulas reutilizáveis compativeis com a nossa máquina de café e estamos muito satisfeitos.


Não só por motivos ecológicos mas também por podermos escolher o café que gostamos mais e ir sempre mudando. E no final, até fica muito mais em conta. 
Confesso que ainda temos algumascápsulas da marca original para desenrascar quando for preciso mas o consumo delas diminuiu drásticamente, já não se compara! Estou a mencionar este detalhe para vos mostrar que mesmo pequenas mudanças fazem-se de forma gradual e não gosto de radicalizações. Não é porque agora tenho cápsulas reutilizáveis que vou banir completamente todas as outras. No nosso caso, é este o equilibrio que encontrámos e que nos convém, cada um faz como bem entende ;)

Voltando às cápsulas, como podem ver, existem 2 tipos, ambos em inox.

Foto tirada do site Aliexpress






A primeira foto é um tipo de cápsula que não produz mesmo lixo nenhum porque tem uma tampinha que se enrosca e as outras utilizam apenas uma fina pelicula de aluminio (o lixo que produzem é muito reduzido comparado às cápsulas originais). 

Depois de serem usadas, basta retirar a pelicula (que deve ser deitada no recipiente que vai para a reciclagem) ou a tampa e enxaguar para retirar o café. 

No nosso caso, aproveitamos esse café para usar mais tarde como fertilizante nas plantas ou na horta. Vamos despejando as cápsulas para um recipiente fechado que é guardado num sítio fresco e vamos usando o café conforme precisamos.


Como referi, a grande vantagem destas cápsulas, para além de serem mais ecológicas, é que podemos usar o tipo de café que desejamos.

Por exemplo, ultimamente comprámos um grande saco de café brasileiro (em grão) e depois vamos moendo a quantidade que necessitamos para encher as cápsulas. O gosto é muito diferente do café das cápsulas originais e gostamos imenso. E o facto do café ser moído na hora (ou algumas horas antes) faz muita diferença a nível dos aromas.

E, como é óbvio, sai muito mais barato compar um saco de café em grão que porções individuais. O único inconveniente é que tem que se reservar alguns minutinhos para moer e encher as cápsulas.É tão bom o cheirinho a café moído que fica na cozinha!

Caso não tenha tempo de preparar as cápsulas diáriamente, como é o nosso caso, faça como nós e prepare-as ao fim de semana. Depois arrumamo-las na caixinha das cápsulas e ficão prontas a usar a qualquer momento do dia ao longo da semana. 


A nível da espuma, notámos que as cápsulas com a pelicula de aluminio (as da direita na foto anterior) fazem mais espuma que as outras com a tampa de enroscar, e o café fica mesmo igual ao das cápsulas descartáveis.



Espero que gostaram deste artigo e sintam-se à vontade para comentar e contar-me o método que preferem para fazer o vosso cafézinho ;)

Até à próxima!

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Morcela branca com molho de natas e cogumelos

Olá a todos!

Cá estou de volta depois de uma curta ausência visto que durante o Verão as nossas refeições são quase sempre grelhados e é um periodo durante o qual experimento menos receitas novas para partilhar com vocês.

Aqui por casa, gostamos muito de salsichas frescas de vários sabores que compramos no talho e a morcela branca é uma das nossas preferidas (não sei se também há em Portugal). Não leva sangue e tem um saborzinho bastante cremoso e agradável. Cada talho tem a sua própria receita e por isso gostamos de ir provando.

Costumo sempre acompanhá-las com um creme bem guloso de natas e cogumelos.

E como aqui no Québec as temperaturas já são dignas do Outono, já apetece pratos assim reconfortantes.

Como sempre, é uma receita bem fácil e rápida e por isso ideal para os jantares da semana.
Podem substituir a morcela branca por outra salsicha do mesmo estilo.




Para 4 pessoas:

- 4 morcelas brancas (“boudin blanc”)
- 400g de cogumelos frescos (usei 200g de cogumelos brancos “Paris” e 200g de cogumelos castanhos “crimini”)
- 200g de natas espessas
- 1 cebola chalota
- 1 colher de sopa de manteiga para o molho + 1 colher de sopa para fritar as salsichas
- sal e pimenta


Limpe e corte os cogumelos em lâminas.
Numa grande frigideira, derreta 1 colher de sopa de manteiga e dore as salsichas em lume brando (aproximadamente 5 minutos de cada lado).
Noutra frigideira grande, derreta 1 colher de sopa de manteiga e refoque nela a chalota bem picadinha.
Junte os cogumelos, mexa e deixe refogar a lume médio durante aproximadamente 3-5 minutos até os cogumelos ficarem moles e perderem volume.
Adicione agora as natas, tempere com sal e pimenta (pode acrescentar ervas aromáticas se preferir), misture bem e deixe cozinhar a lume médio durante aproximadamente 5-7 minutos ou até as natas engrossarem a vosso gosto.
Juntem esta preparação de natas às salsichas, apague o lume e deixe reposar alguns instantes antes de servir.

segunda-feira, 22 de julho de 2019

Paella à minha moda

Olá pessoal e boa semana!

Hoje trago-vos um dos meus pratos preferidos: paella!

Aviso já que esta não é a receita original ou tradicional porque perdi a receita que uma amiga espanhola me tinha dado e acabei por improvisar ;) mas ficou excelente e resolvi partilhar convosco!


- 300g de arroz Arborio
- 900ml de água a ferver
- 1 boa pitada de pistilos de açafrão
- 100g de miolo de mexilhão
- 150g de miolo de camarão
- 100g de ervilhas
- 500g de coxas ou pernas de frango
- sal
- azeite

Numa frigideira larga (de preferência uma que seja própria para paella), frite o frango num fio de azeite até estar quase cozido e bem douradinho de ambos os lados.

Durante esse tempo, ferva a água e retire um copo dela para marinar o açafrão.

Junte o arroz na frigideira, misture e adicione a água e também o copo da água com o açafrão.

Misture só para egalizar e deixe cozer sem tampa a lume médio/baixo durante 17 minutos.

Cerca de 5 minutos antes da cozedura terminar, junte o marisco, as ervilhas e o chouriço por cima do arroz, sem mexer o arroz.

Quando os 17 minutos terminarem, apague o lume e deixe reposar durante 5 minutos antes de servir.

sábado, 13 de julho de 2019

Esparguete com molho pesto

Olá e bom fim de semana a todos!

Hoje trago-vos uma receita bem fácil e rápida.
Pessoalmente, nunca tinha feito nem provado molho pesto. Sempre me intrigou mas nunca me senti muito atraída a este molho verde...
Mas como o meu majericão este ano está bem estrondoso e tinha já demasiadas folhas, apesar de utilizá-lo diáriamente nas nossas saladas, decidi finalmente experimentar esta receita.

E fiquei surpreendida com o resultado, o molho é mesmo delicioso!

Achei um pouco enjoativo depois de se comer uma certa quantidade, mas é realmente muito saboroso e gostei imenso.

Lição do dia: nunca hesitar a provar novas receitas! :)

Tirei a receita deste site : https://www.meilleurduchef.com/fr/recette/pesto.html


Para 300g de massa :
(até acho que dava para um pouco mais de massa porque sobrou-me ainda molho no fundo da panela)

- 60g de folhas de manjericâo fresco
- 70g de parmesão ralado
- 3 colheres de sopa de pinhões
- 2 dentes de alho
- 300ml de azeite
- 1 pitada de sal grosso

Num grande copo de batedeira, meta as folhas de manjericâo e a pitada de sal. Triture bem.
Junte agora o parmesão e os pinhões. Triture e logo de seguida comece a juntar o azeite a fio para fazer uma emulsão como se fosse uma maionese.
Junte o alho descascado e triture uma última vez.
E já está pronto a juntar à massa cozida. Nem é preciso aquecer, o calor da massa é suficiente para envolver bem o molho.

domingo, 7 de julho de 2019

Pipocas caramelizadas

Bom domingo a todos!

Hoje trago-vos um petisco doce que apreciamos muito cá em casa: pipocas!

Para fazer as pipocas, uso uma máquina de ar quente que não necessita óleo e que fá-las em apenas alguns minutos."

Mas o artigo de hoje é para partilhar convosco a receita do caramelo para as pipocas.

Depois de inúmeras tentativas aqui em casa, encontrámos finalmente a receita perfeita no canal Youtube "Cupcake Jemma" : https://www.youtube.com/watch?v=qVuGe_qYm0E&t=3s

Juro-vos que as pipocas com este caramelo ficam mesmo parecidas às que compramos no cinema, é uma delicia!!

Sempre tive uma certa apreensão em fazer caramelo mas esta receita ficou excelente. Segui à risca as indicações e quantidades do vídeo e deu mesmo certo!

O único segredo é mesmo não deixar o caramelo queimar e vou explicar isso na receita.


(Para 90g de milho)

- 210g de açúcar branco
- 100ml de água
- 1 colher de sopa de manteiga

Numa panela larga, deite o açúcar e a água.
Não misture com nenhuma colher durante todo o processo, apenas pode agarrar na panela e sacudir ligeiramente a panela para que o açúcar fique homogeneo (pode ver no video que indiquei acima como se faz).

Leve ao lume (a lume médio) e deixe o açúcar  ferver até ganhar uma cor castanha (cor de âmbar). Aconselho a visionar o video que indiquei acima para verificar o nível da cor que precisa atingir. Aqui nesta etapa é que é preciso ter cuidado para não deixar queimar o caramelo.
Assim que atingir uma cor castanha uniforme, já pode desligar o lume.
Dica: no meu caso, a cor castanha começou a formar-se nos lados e no centro demorava mais tempo. Assim que isso acontecia, virei delicadamente a panela em movimentos circulares para misturar o caramelo (sem tocar com nenhuma colher) e assim uniformizar a cor.

Quando atingir a cor desejada, desligue o lume e adicione a manteiga, mexendo rapidamente com uma espátula.

Quando obter um caramelo cremoso e liso, sem espuma e que já não ferve, está pronto!

Derrame o caramelo por cima das pipocas e mexa imediatamente com uma espátula para envolver bem.
Transfira as pipocas para um tabuleiro ou uma placa forrada com papel vegetal e deixe arrefecer.
Quando arrefecerem, já pode separar as pipocas e apreciar !

sábado, 1 de junho de 2019

Sementeiras D30

Bom dia e bom sábado a todos!

Não é tão bom o fim de semana?? :)

Hoje mostro-vos as fotos das sementeiras 1 mês depois de termos semeado.

Os legumes já estão bem grandes e hoje vamos transferi-los para a horta lá fora. As temperaturas já estão agradáveis e o importante é nunca descer abaixo dos 10°C (mesmo durante a noite).

Hoje está um dia cinzento mas quentinho, ideal para transferir as plantinhas lá para fora.



Penso que a nossa missão está cumprida e agora passamos à próxima etapa: tratar delas lá fora :)

Depois mostro-vos fotos lá de fora quando estiver tudo pronto.

Bom sábado e obrigada pela leitura!

quinta-feira, 30 de maio de 2019

Estufado de porco polaco

Olá a todos!

Esta semana parece que nunca mais termina... e o calor nunca mais cá chega, já começa a ser desesperador.... :( 

Nada como um prato bem reconfortante como este para nos animar ! :)

Esta receita é fabulosa e encontrei aqui no blog da Anna: https://www.polishyourkitchen.com/polishrecipes/polish-pork-stew-gulasz-wieprzowy/

Demora tempo a cozinhar mas é fácil de fazer e a carne fica tão tenrinha e o molho é tão divinal que vale mesmo a pena.

Este prato vai ser feito muitas mais vezes aqui em casa, tenho a certeza!




- 1,2kg de carne porco aos cubos
- sal e pimenta q.b.
- 2 colheres de sopa de azeite
- 3 dentes de alho
- 1 cebola média
- 3 folhas de louro
- 6-8 grãos de pimenta inteiros
- meia colher de sobremesa de especiarias Allspice (não sei se existe esta mistura em Portugal. Como não a tinha em casa, fiz eu própria a mistura: uma pitada de canela, uma pitada de noz moscada em pó e uma pitada de cravinho)
- 1 colher de sobremesa de tomilho seco (ou 1 colher de sopa de tomilho fresco)
- 2 cenouras
- 1 cherivia (eu substituí por batata)
- 1,2l de água 
- 4 colheres de sopa de farinha
- 120ml de água fria (para misturar com a farinha)

Frite o porco no azeite até ficar bem douradinho. Tempere com sal e pimenta segundo a sua preferência.
Junte a cebola e os alhos picados, mexa bem e deixe alourar mais um pouco.
Regue com 1,2l de água, junte o louro, a pimenta, a mistura de especiarias Allspice, as cenouras, a batata (ou a cherivia) e o tomilho.
Misture bem e deixe levantar fervura.
Baixe o lume para o mínimo, cubra e deixe cozer durante 1 hora e meia.
Numa pequena tigela, dissolva a farinha em 120ml de água fria e junte esta mistura à carne.
Misture bem e deixe engrossar.
E já está pronto! :)

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Cogumelos recheados com atum e maionese

Olá a todos e boa segunda-feira!
Cá estamos para mais uma semaninha. Oxalá passe rápido para que o próximo fim de semana chegue bem depressa hi hi :)

Como já mencionei antes, faço parte do grupo "Cantinho das Cozinheiras" no Facebook, e cada mês, o blogue de um dos membros é escolhido em sorteio e cada membro tem o desafio de fazer uma receita desse blog. Este mês o blogue escolhido foi "Recanto com tempero" (http://recantocomtempero.blogspot.com/).



Escolhi esta receita de cogumelos e foi excelente! Gostámos imenso. Aqui está o link direto: http://recantocomtempero.blogspot.com/2016/07/cogumelos-paris-recheados-com-atum-e.html


- 1 lata de atum (160g)
- 1 colher de sopa de maionese
- 1/2 cebola
- 1 colher de sopa de óregãos moídos
- 1 pacote de cogumelos de Paris (no meu caso tinha mais ou menos 20 cogumelos)
- 1 colher de sobremesa de azeite
- sal e pimenta
- queijo ralado

Préaqueça o forno a 180°C.
Lave os cogumelos para retirar os restos de terra e seque-os bem.
Retire os talos de cada cogumelo e reserve,
Tempere com um pouco de sal e pimenta.
Pique a cebola e os talos de cogumelos que retirou. Refogue-os no azeite.
Baixe o lume para o mínimo.
Junte o atum bem escorrido e desfeito com um garfo. Misture e envolva com maionese e óregãos.
Recheie os cogumelos com esta mistura de atum e polvilhe com queijo ralado.
Leve ao forno durante 15-20 minutos.
Sirva imediatamente.

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Francesinha (molho caseiro)

Quase nem preciso de escrever nada para vos apresentar este prato bem típico e bem guloso, que todo o bom português conhece ou pelo menos do qual já ouviu falar.

A Francesinha é um prato originário da cidade do Porto. Conta a lenda popular que foi que um senhor originário do Minho (Terras de Bouro), inventou este prato num restaurante do Porto, depois de ter emigrado para a França e ter sido inspirado pela famosa sandes francesa Croque-Monsieur, que é o equivalente à nossa tosta mista.

História verídica ou não, o que é certo é que se tornou um dos emblemas da nossa gastronomia e até no estrangeiro já falam dela.
Desta vez fiz o molho caseiro, segundo a receita da Xana que encontram aqui:
https://cozinhadaxana.com/2017/02/04/como-fazer-molho-francesinha/

Obrigada Xana porque estava decadente! :)

Desculpem pela qualidade das fotos mas não é um prato muito fotogénico e é dificil mostrar o interior da francesinha.






Para o molho (estas quantidades dão para 4 porções):
- 100g de manteiga
- 1 cebola cortada em meias luas fininhas
- 1 cenoura às rodelas fininhas
- 1 dente de alho picado
- 1 folha de louro
- 33cl de cerveja branca
- azeite
- 1/2 colher de sobremesa de sal fino
- uns grãos de pimenta preta
- 800g de tomate maduro, sem pele, sementes e cortado em cubos (comprei uma lata já preparada) 
- umas gotas de tabasco
- 250ml de água

Para cada sandes:
- 2 fatias de pão de forma
- 2 fatias finas de fiambre
- 1 bife fino frito
- metade de um chouriço frito
- 1 ovo estrelado
- 4-6 fatias de queijo fatiado

Comece por prepara o molho: refogue a cebola, o alho e o louro em 50g de manteiga (reserve o resto para o fim da receita) e um fio de azeite.
Quando a cebola estiver mole e translúcida, junte a cenoura. Misture bem e deixe amolecer a cenoura.
Junte agora o tomate e o tabasco. Deixe reduzir.
Adicione a cerveja, o sal e a água, misture muito bem, tape e deixe cozer até o tomate se desfazer.
Rectifique o tempero segundo a sua preferência.
Retire a folha de louro, triture tudo muito bem e junte as restantes 50g de manteiga. Misture até a manteiga derreter e reserve.

Prepare agora cada sandes com os ingredientes indicados acima, terminando com o queijo fatiado.
Regue generosamente com o molho e deguste!

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Massa cremosa de atum e milho

E cá estou eu novamente com uma receita super fácil e rápida para os jantares da semana quando dispomos de menos tempo e não temos muita vontade de complicar a vida :)

Como já referi anteriormente, aqui em casa, gostamos bastante de massa e é a solução mais prática para quando não se tem nada previsto para o jantar, como foi o caso neste dia.

Nada que umas latas de atum e um pacote de natas não resolvam hi hi hi



- 300g de massa (usei penne)
- 1 lata de atum (160g)
- 1 lata pequena de milho cozido (100g)
- 200ml de natas
- 1 colher de sopa de polpa de tomate
- sal, pimenta, ervas aromáticas
- 1/2 de uma cebola pequena
- 1 dente de alho
- azeite

Coza a massa, escorra e reserve.
Faça um refogado com a cebola e o alho picados no azeite.
Junte o atum escorrido, o milho e a polpa de tomate. Misture e tempere com sal, pimenta e ervas aromáticas.
Deixe refogar alguns instantes e junte as natas. Mexa bem e deixe apurar durante aproximadamente 5 minutes, mexendo de vez em quando. Rectifique os temperos se necessário.
Misture esta preparação com a massa cozida e já está pronto! Pode polvilhar com queijo ralado, se gostar.

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Crème brûlée

Hoje é feriadinho aqui no Canadá!!
Dia feriado pede sempre um docinho ou um bolinho para festejar! Hi hi hi

Gosto imenso desta sobremesa francesa e faço esta receita já há vários anos. Fica sempre boa e é mesmo fácil de fazer. O mais chato é o tempo de cozedura mas quando nos apetece este docinho, não é isso que nos impede.



- 5 gemas
- 100g de açúcar
- 500ml de natas
- meia vagem de baunilha (eu meti uma inteira porque adoro o sabor intenso a baunilha)

Préaqueça o forno a 100°C.
Misture as gemas e o açúcar com uma colher de pau (é importante de não bater para não fazer espuma).
Abra a baunilha com uma faca e raspe delicadamente para retirar os grãozinhos de baunilha e junte-os à mistura de gemas e de açúcar.
Incorpore delicadamente as natas.
Encha pequenas formas de porcelana ou de barro com a preparação e leve ao forno durante 2 horas.
Deixe arrefecer e meta no frigorifico durante pelo menos 3 horas antes de servir.
No momento de servir, polvilhe com açúcar e queime com um maçarico.


quinta-feira, 16 de maio de 2019

Salada russa (à minha moda) com truta grelhada

Bem, esta semana aqui em Montréal tem sido mesmo chata, chuva, vento, frio, parece que estamos no Outono outra vez... :( Anda toda a gente deprimida outra vez, ansiosa que chegue o Verão (acho que já nem vamos ter Primavera hi hi hi).

Bom, basta de converseta e vamos à receita.

Isto é mais uma ideia que uma receita porque foi tudo a olho e basicamente fiz com o que tinha em casa e vocês também com certeza vão adaptá-la a vosso gosto.

Tinha uma truta no congelador (pescada por mim mesma, acreditem ou não LOL) e não gosto de deixar o peixe muito tempo no congelador porque acho que apanha fácilmente o gosto a gelo.

Aproveitei que o meu marido fez um churrasco para dar-lhe a truta para grelhar.

Ou seja, apenas mudei o "problema" de sitio: em vez de ter uma truta à espera no congelador, tinha agora uma truta grelhada no frigorifico porque naquele dia apeteceu-me comer frango grelhado que ele tinha feito.

Resolvi fazer uma espécie de salada russa para levar para o meu almoço no dia seguinte e olhem que ficou muito boa!
O feijão verde é da nossa horta do ano passado e ficou mesmo a calhar. Sei que a salada russa normalmente leva cenoura mas não tinha.

Deixo-vos então aqui esta sugestão que podem adaptar segundo a vossa preferência ou, como foi no meu caso, segundo os ingredientes que têm à mão.



- 1 truta grelhada (fria ou morna)
 - 2 batatas
- 1 mão cheia de feijão verde
- 1 mão cheia de ervilhas
- 1 ovo
- 1 colher de sopa de maionese
- sal e pimenta

Coza as batatas, o feijão verde, as ervilhas e o ovo durante 8-9 minutos (eu junto as ervilhas apenas 2 minutos antes do fim para não ficarem demasiado cozidas).
Escorra e deixe arrefecer. 
Corte tudo em pedaços.
Retire a pele e as espinhas da truta e desfaça em pedaços.
Junte a truta aos restantes ingredientes e envolva tudo muito bem com a maionese.
Tempere com sal e pimenta a gosto.
Bom apetite!


quarta-feira, 15 de maio de 2019

Sementeiras 2019 - D14

Olá a todos! :)

Hoje venho de novo com muito prazer mostrar-vos o progresso das nossas sementeiras, 2 semanas depois de termos semeado.

Como podem ver, os rebentos já estão bem crescidos e já se distingue bem cada legume.

Ainda faltam alguns que ainda não quiseram sair, são um pouco mais preguiçosos que os outros, mas tem que se ter paciência, tenho confiança que vão acabar por sair :) Até lá, damos-lhes muito amor e carinho para terem coragem hi hi hi


Nesta primeira foto, temos tomates (2 tipos diferentes) do lado esquerdo, e couves galegas do lado direito.


Nesta foto, temos alho-francês no lado esquerdo (são as espécies de fiozitos verdes que vêem), no meio abóboras butternut, courgettes, kale, tomates-cereja e do lado direito, pepinos.

Desde que semeámos, ainda não regámos de novo porque a terra estava muito molhada (de propósito para favorecer a saída dos rebentos). Mas como podem ver nas fotos, daqui a pouco tempo vamos ter que regar de novo, com um spray ou com este sistema de fios em plástico que o meu marido instalou e que está ligado a uma bomba automática que se pode programar :)

Para a semana que vem, partilho novas fotas :)

Espero que gostem e não hesitem em deixar um comentário!

terça-feira, 14 de maio de 2019

Couve-de-Bruxelas salteadas com bacon

Para esta 3a feira em que talvez andem à procura de inspiração para as refeições rápidas da semana, trago-vos um prato super rápido e fácil de fazer (como sempre hi hi).

Estas couvinhas vêm da nossa horta do ano passado e tinha-as congelado para ir comendo durante o Inverno. São um pouco mais pequenas que as que encontramos nos supermercados mas tão mais tenrinhas e saborosas. O facto de serem mais pequenas faz também com que não sejam tão amargas e deliciámo-nos com elas.

A maneira mais rápida e saborosa que conheço de cozinhar Couves-de-Bruxelas é salteá-las na frigideira com bacon. 

Quase que já é uma refeição por si mas para nós foi um acompanhamento ao churrasco que tínhamos feito naquele dia.

Aqui vai a receita, espero que gostem!



- 300g de Couves-de-Bruxelas
- 150g de bacon
- sal, pimenta, alho em pó

Coza as couves-de-Bruxelas em água a ferver com sal durante 10 minutos (no nosso caso, foi só 5 minutos porque as couves eram pequeninas). Escorra e reserve.
Numa frigideira, dore o bacon e junte as couves-de-Bruxelas.
Vá mexendo e deixe saltear durante aproximadamente 5 minutos até as couves estarem douradas juntamente com o bacon, segundo a sua preferência. Pode saltear mais tempo se preferir que fiquem bem tostadas.
Tempere com sal, pimenta e alho em pó e misture.
E já está!
Bom apetite!

domingo, 12 de maio de 2019

Bolo de banana

Hoje é domingo, é dia de bolinho!
Não sei como é pelas vossas casas, mas por aqui gosto sempre de fazer um bolinho para irmos comendo ao pequeno-almoço durante a semana.

Tinha umas bananas já maduras e por coincidência vi esta receita no blog da Cláudia Ralha:  http://www.oprazerdacozinha.com/2018/11/banana-bread-receita-em-video.html

Decidi logo guardar para fazer e foi um grande sucesso. O bolo ficou mesmo delicioso, fofinho e nada seco! Gostámos mesmo muito e vou repetir esta receita mais vezes! Obrigada Cláudia! :) Já agora aproveito para vos recomendar o canal da Cláudia no YouTube que é mesmo interessante: https://www.youtube.com/channel/UCsgFjn4Ms5tK6Cr0JDDuHkA

Apenas mudei a receita a nivel da farinha e usei metade de trigo e metade de aveia. E também meti um pouquinho mais de pepitas de chocolate :)

É com prazer que agora também vos transmito a receita. Peço desculpa pela qualidade das fotos que até nem rendem justiça a este bolo que estava mesmo divinal!



- 80gr de açúcar mascavado (para a próxima diminuo para 50g)
- 2 ovos inteiros
- 50gr de manteiga derretida
- 1 colher de chá de canela em pó
- 4 bananas maduras esmagadas
- 150gr de farinha de trigo
- 150g de farinha de aveia (apenas triturei 150g de flocos de aveia)
- 1 colher de sopa de fermento em pó
- 150gr de pepitas de chocolate

Pré-aqueça o forno a 180°C (eu pûs a 190°C com a função ar forçado porque o meu forno é a gás e noto que é melhor aumentar ligeiramente a temperatura quando faço bolos).
Batam o açúcar com os ovos, a manteiga e a canela. Acrescentem as bananas e voltem a bater.
Junte as farinhas e o fermento e bata de novo apenas até misturar bem.
Envolva por último as pepitas de chocolate.
Ponha a preparação numa forma untada (no meu caso usei uma de silicone e não precisei untar) e leve ao forno durante 45 minutos.
Deixe arrefecer antes de desenformar.

quinta-feira, 9 de maio de 2019

Frango no churrasco (com molho caseiro)

Se há um prato que podia comer todos os dias, é frango no churrasco com aquele molhinho apetitoso.

Aqui em Montréal, este prato português tem muito sucesso e há vários restaurantes muito conhecidos, especializados em frango no churrasco. Aqui até lhe chamam "Poulet portugais" (Frango português).

Há uns tempos atrás, decidimos tentar fazer o nosso molho caseiro e depois de vários testes feitos pelo marido, acho que encontrou mesmo a receita ideal (ao nosso gosto), que partilho com vocês com muito gosto. Se têm alguma sugestão ou se querem partilhar a vossa receita nos comentários, sejam bem-vindos! :)


- 1 frango
- sal

Para o molho (que dá para várias vezes):
- 400 ml de massa de pimentão
- 5 dentes de alho
- 4 folhas de louro
- 50ml de óleo
- pimenta
- piri-piri (opcional - não metemos)

Abra o frango e tempere-o com sal.
Prepare o lume de carvão e grelhe o frango até estar bem cozido (aproximadamente 30-40 minutos), virando regularmente,
Enquanto o frango está a grelhar, prepare o molho: triture todos os ingredientes com a varinha mágica até obter um molho homogéneo e espesso. 
Estas quantidades vão dar para várias porções por isso retire apenas a quantidade que vai usar para este frango e guarde o resto num frasco de vidro fechado no frigorifico.
Quando o frango estiver quase cozido, vá pincelando generosamente com o molho que preparou e deixe grelhar mais alguns minutos. Vire o frango e repita a operação.
Pode repetir esta operação quantas vezes preferir, até achar que já tem molho suficiente.
No nosso caso, pincelámos 2 vezes de cada lado.



terça-feira, 7 de maio de 2019

Tortellinis com natas e cogumelos

E já sobrevivemos a mais uma segunda-feira! Hi hi
E hoje, trago-vos esta receita super rápida que talvez vos inspire para uma das refeições da semana.

Compro de vez em quando estes tortellinis recheados com presunto e depois improviso um molho para servir com eles.

Desta vez tinha cogumelos frescos no frigorifico que tinha comprado para aproveitar uma promoção da semana anterior e por isso decidi fazer este molho de natas e cogumelos mesmo fácil e rápido.



- 300g de tortellinis
- 200g de cogumelos frescos
- 150ml de natas
- sal e pimenta
- 1 ou 2 rodelas de cebola (idealmente metade de uma chalota mas não tinha)
- 1 colher de sopa de manteiga

Corte os cogumelos em lâminas.
Pique 1 ou 2 rodelas de cebola e refogue na manteiga durante apenas 1-2 minutos.
Junte os cogumelos e deixe refogar, mexendo de vez em quando.
Os cogumelos vâo largando água pouco a pouco, conforme vai mexendo.
Deixe cozer durante alguns minutos e junte as natas. Misture bem e tempere com sal, pimenta e outras ervas aromáticas a seu gosto.
Deixe cozer durante 10 minutos.
Durante esse tempo, coza os tortellinis em água a ferver com um pouco de sal, segundo as instruções da embalagem. No meu caso era 4 minutos de cozedura.
Escorra-os e misture com o molho que preparou.
Bom apetite!

sábado, 4 de maio de 2019

Sementeiras 2019 - D6

Olá a todos!
A Primavera chegou enfim aqui ao Canadá e é tempo de começar as nossas sementeiras para a horta deste ano.
Adoro esta época porque mais uma vez temos o privilégio de observar o milagre da natureza quando um rebento sai de uma semente tão pequenina e depois se desenvolve em um legume robusto :)
Semeámos tomates, pepinos, alhos franceses, couve kale, couve galega, abóbora e courgette. Os legumes restantes serão semeados diretamente lá fora, quando não houver mais risco de gelo (aqui é so em fins de Maio/principios de Junho...).
Fizemos as sementeiras no Domingo 28 de Abril e tirei estas fotos hoje, 6 dias depois:




Marcamos encontro para o próximo fim de semana para seguir a evolução das plantinhas, tá combinado? :)
Bom fim de semana a todos!


quinta-feira, 2 de maio de 2019

Overnight oats

Hoje acordei com o pé esquerdo... e quando é assim, tudo me enerva e ando de mau humor todo o dia, não há ninguém que me ature... LOL

Mas há que aceitar os maus dias, também fazem parte da vida não é? Amanhã será um dia melhor de certeza.

Bom, basta de queixas, bora lá falar de pequeno-almoço para trocar as ideias.

Sou fã incondicional dos chamados « Overnight oats » (há quem os chame “Papas de aveia adormecidas”), que ultimamente se tornaram muito populares nas redes sociais.

Adoro aveia e esta receita é excelente para variar das tradicionais papas de aveia e sobretudo para as manhãs mais caóticas onde não temos tempo de preparar um pequeno-almoço saudável.

Outra vantagem é que é uma receita bastante versátil e podemos adaptar os ingredientes segundo as nossas preferências ou os produtos de que dispomos no momento.

Desta vez, experimentei iogurte de cabra, que nunca tinha provado, e ficou muito bom. Tem um gosto mais pronunciado que o iogurte de vaca mas gostei muito. O leite de cabra é muito mais digesto que o leite de vaca (e por conseguinte, permite uma melhor absorção de todos os nutrientes que contém) e é rico em próbioticos, em zinco e selénio, entre outros. Sobretudo, tem um gostinho bem diferente que muda a rotina ;)

Aqui vai a receita, espero que gostem!



- 1/3 cup de flocos de aveia (mais ou menos 30g)
- 1/3 cup de iogurte (usei iogurte de cabra sem açúcar)
- 2/3 cup de leite (usei leite de amêndoa)
- 1 colher de sopa de sementes de linhaça moídas (opcional – pode também substituir pour sementes de chia)
- 1 colher de sobremesa de xarope de ácer (pode substituir por mel, açúcar ou outro tipo de adoçante)


Misture todos os ingredientes e transfira a preparação para um frasquinho.
Deixe reposar toda a noite no frigorifico.
Antes de servir, pode adicionar os seus toppings preferidos: fruta fresca, chocolate, manteiga de amendoim, frutos secos, etc.


segunda-feira, 29 de abril de 2019

Arroz de feijão com chouriço

Hoje trago-vos uma receita bem simples e rápida mas mesmo saborosa e que aprecio imenso.

Faço muitas vezes este arroz mas nunca tinha ainda publicado.


- 250g de arroz agulha
- 150g de feijão manteiga (ou vermelho)
- metade de um chouriço
- metade de uma cebola
- 1 dente de alho
- 8g de sal
- azeite
- 0,8l de água

Refogue a cebola e o alho picados num fio de azeite, juntamente com o chouriço cortado às rodelas.
Deixe refogar até ficarem bem douradinhos.
Adicione a água, o feijão e o sal, mexa e deixe levantar fervura.
Junte o arroz, mexa bem, baixe o lume e deixe cozer com a tampa durante 10 minutos. Vá verificando se precisa de juntar um pouco mais de água segundo a sua preferência.
Desligue o lume e deixe descansar durante 5 minutos sem destapar.
Bom apetite!

quarta-feira, 6 de março de 2019

Palhas reutilizáveis

Segundo a Agência Europeia para o Ambiente, cerca de 100 milhões de toneladas de lixo terminam nos oceanos e as palhinhas de plástico estão no top 10 do lixo marinho mais encontrado nas limpezas costeiras.

Uma estimação de Greenpeace calcula que nos Estados-Unidos, 500 milhões de palhas são usadas e deitadas fora cada dia (57 milhões no Canadá).

Dá que pensar.

As palhas de plástico não são recicláveis e são feitas de matérias derivadas do petróleo, que demora dezenas de milhões de anos a formar-se na natureza, para serem usadas em apenas alguns segundos ou minutos ao consumir uma bebida.

Aqui em casa, era algo que nos perturbava bastante e decidimos comprar palhas reutilizáveis em inox.


Este tipo de palhas reutilizáveis são cada vez mais fáceis de encontrar e são uma verdadeira alternativa para reduzir o lixo de plástico.

A nível da utilização, não se nota nenhuma diferença, são muito agradáveis e basta limpar com a escovinha para eliminar os resíduos que possam ficar dentro da palha (demora literalmente 2 segundos) antes de meter na máquina de lavar loiça (ou lavar à mão com água e sabão).

Como tinha explicado, este tipo de artigos são apenas sugestões e ideias muito simples e sem pretenção alguma, para partilhar pequenos gestos acessíveis a todos mas com grande impacto na proteção da natureza :)


segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Salame de chocolate

Quem não tem lembranças de infância de salame de chocolate?

A receita é muito simples e encontrei-a aqui:  https://www.teleculinaria.pt/receitas/doces-e-sobremesas//salame-de-chocolate-2/

Muito fácil de fazer mas tão bom!!



- 200g de bolacha Maria
- 100g de açúcar (usei açúcar mascavado)
- 100g de chocolate em pó (usei cacau em pó sem açúcar)
- 100g de manteiga derretida
- 1 ovo

Esmague as bolachas em pedaços bem pequeninos. 
Numa tigela, misture as bolachas e o chocolate em pó.
Bata o açúcar e a manteiga até obter um creme esbranquiçado. Adicione o ovo e bata mais alguns instantes.
Junte o creme de manteiga à mistura das bolachas e misture tudo muito bem.
Estenda uma folha de papel de alumínio, meta a massa em cima do papel, molde para formar um rolo e embrulhe.
Reserve no frigorífico durante algumas horas até endurecer.
Corte às rodelas e sirva.