quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Tripas à moda do Porto

Bom dia a todos!

Só agora é que me dei conta que ainda não tinha publicado aqui uma receita que faço frequentemente já há vários anos: Tripas à moda do Porto (que aqui em casa acabamos por chamar simplesmente Feijoada).

Aprendi esta receita com a minha sogra e é um prato mesmo saboroso que faz parte das nossas ementas favoritas.

Não é nada dificil de fazer, apenas leva tempo devido à cozedura das carnes. Mas vale a pena o esforço!

Visto sermos só dois aqui por casa, costumo fazer uma grande panela e depois congelo em porções individuais para irmos comendo durante os meses de Inverno.



- 500g de feijão branco 
- 2 pés de porco
- 500g orelhas de porco 
- 500g de carne de porco (uso sempre da pá)
- 500g de chouriço de carne (não picante) cortado às rodelas
- 300g de toucinho fumado cortado aos cubos
- 500g de dobrada
- 1,5 cebolas
- 3 folhas de louro grandes
- 1 alho francês
- 10 cravinhos
- 1 ramo de salsa
- 2 dentes de alho
- sal grosso 
- polpa de tomate (aproximadamente 200ml)

Na véspera, ponha o feijão de moho em água fria durante uma noite inteira. Salgue as carnes  com sal grosso (pés, orelhas e a carne de porco) e deixe reposar no frigorifico durante uma noite inteira.

No dia seguinte, despeje a água do feijão, passe-o por água corrente e ponha-o numa grande panela.
Cubra com água fria, adicione uma colher de sopa de sal grosso e uma folha de louro e leve ao lume. Quando levantar fervura, retire a espuma que se começa a formar, baixe o lume e deixe cozer durante aproximadamente 15 minutos. Prove o feijão e quando estiver cozido mas ainda bem croquante, desligue o lume e retire a panela. Deixe reposar dentro do caldo (vamos utlisar uma parte dele para a feijoada).

Passe a dobrada por água, coloque-a numa panela com uma folha de louro, cubra de água fria e deixe levantar fervura. Deixe cozer durante 10 minutos e escorra. Corte a dobrada em cubos pequenos e reserve.

Retire as carnes salgadas do frigorifico e transfira-as para uma grande panela sem passá-las por água para não perder o sal. Espete os cravinhos numa metade de uma cebola e junte à panela. Adicione também uma folha de louro, um ramo de salsa e um alho francês. Cubra tudo com água fria e leve ao lume. Quando começar a fever, diminua o lume (mas sempre mantendo a ferver) e vá retirando a espuma que se vai formando (são impurezas das carnes). Deixe cozer durante 1 hora. Retire as orelhas de porco e deixe cozer o resto das carnes durante mais 30 minutos. Retire as carnes e filtre o caldo para retirar os legumes e o resto das impurezas (vamos aproveitar uma parte deste caldo para mais tarde).

Corte as orelhas em cubos pequenos, retire o máximo de carne que conseguir dos pés de porco e corte também a carne aos cubos pequenos.

Refogue uma cebola e os dentes de alho picados num fio de azeite (numa grande panela).
Junte o chouriço e o toucinho. Misture e deixe dorar durante alguns minutos.

Regue com a polpa de tomate e junte a carne de porco e o que aproveitou dos pés de porco (guarde a orelha para mais tarde). Junte duas conchas de caldo de carne, misture bem e deixe cozer durante aproximadamente 20 minutos.

Adicione o feijão, a dobrada e os pés de porco. Junte um pouco da água de cozedura do feijão até que o molho cubra as carnes. Tape a panela e deixe cozer a lume brando durante aproximadamente 30 minutos.

Desligue o lume e deixe reposar durante 5 minutos antes de servir.

Acompanha-se com arroz branco.

Bom apetite!





terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Panqueca japonesa Okonomiyaki

Olá a todos!

Como já devem ter notado, adoro a cozinha japonesa e tento reproduzir em casa os meus pratos preferidos. Tenho a sorte de viver numa cidade (Montréal) onde encontro facilmente todos os ingredientes asiáticos o que necessito para fazer estas receitas.

Tinha no frigorifico uma couve branca e lembrei-me de experimentar esta receita, que é muito popular no Japão.

São umas panquecas deliciosas originárias da cidade de Osaka mas reproduzidas em muitas outras cidades, com várias adaptações e ingredientes diferentes. A base é sempre a mesma: couve branca numa massa parecida à dos crepes. É uma receita ideal para aproveitar as sobras porque cada pessoa pode adaptar e adicionar outros ingredientes.

Encontrei a receita num dos meus sites preferidos que consulto regularmente e de onde já experimentei várias receitas sempre sem decepção: https://www.justonecookbook.com/okonomiyaki/

Fiz algumas alterações visto que não tinha todos os ingredientes em casa mas as panquecas ficaram ótimas e foram muito apreciadas aqui em casa!



Para 4 panquecas:
- 120g de farinha
- 1/4 colher de chá de sal
- 1/4 colher de chá de açúcar
- 1/4 colher de chá de fermento em pó
- 100g de tofu (suave ou firme - não aconselho o extra-firme nesta receita) 
- 180ml de caldo Dashi frio (dissolva 1 colher de chá de dashi em pó em 180ml de água a ferver de deixe arrefecer)
- 1 couve pequena (750g de couve depois de picada)
 - 4 ovos
- 2 colheres de sopa de óleo para fritar

Para o molho que vai pincelar nas panquecas fritas:
- 1,5 colher de sopa de açúcar
- 2 colheres de sopa de molho de ostra
- 4 colheres de sopa de ketchup
- 3,5 colheres de sopa de molho Worcestershire 

Para terminar as panquecas:
 - maionese
- flocos de bonito seco (katsuobushi)

Comece por preparar a massa, visto que tem que reposar pelo menos 1 hora no frigorifico: misture num grande recipiente a farinha, o sal, o açúcar e o fermento. 
Desfaça o tofu com um garfo para formar uma papa cremosa e junte à farinha.
Adicione agora o caldo dashi progressivamente, batendo com um batedor de varas.
Cubra com pelicula aderente (ou com a tampa do recipiente que usou) e deixe reposar no frigorifico durante pelo menos 1 hora.

Durante esse tempo, pique a couve bem fininha e reserve ao ar livre para secar um pouco.

Prepare o molho que vai pincelar nas panquecas depois de fritas: numa tigela, misture bem o açúcar, o molho de ostra, o ketchup e o molho Worcestershire. Reserve.

Se usar a nossa maionese habitual (ocidental), retire-a do frigorifico antes de começar a fritas as panquecas para ela ficar um pouco mais liquida. O ideal seria usar maionese japonesa mas nem sempre se encontra. Para esta receita, usei um recipiente de maionese com uma ponta bicuda para poder desenhar riscos em cima da panqueca como se faz tradicionalmente no Japão.

Retire a massa do frigorifico e junte a couve e os ovos. Envolva tudo muito bem.

Aqueça um fio de óleo numa frigideira e meta uma grande concha de massa.
Forme uma panqueca redonda, espalmando ligeiramente a massa, cubra com uma tampa e deixe fritar a lume brando durante 5 minutos (as panquecas devem ficar bem douradas por isso adapte a intensidade do seu lume em função do resultado pretendido).
Retire a tampa, vire a panqueca, volte a cubrir e deixe fritar mais 5 minutos.
Vire uma última vez a panqueca, cubra de nova e deixe fritar 2 minutos.

Retire para um prato e repita este procedimento até gastar a massa toda.

Enquanto a panqueca ainda está quente, pincele com um pouco do molho que preparou, cubra com riscos de maionese e polvilhe com alguns flocos de bonito.

Sirva imediatamente.

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Sopa miso

Olá a todos!

Estou tão contente de apresentar-vos hoje esta receita de sopa miso.

Gosto imenso desta sopa, que é a base da alimentação japonesa, principalmente ao pequeno-almoço.

Antigamente, os japoneses costumavam dizer que mais vale gastar dinheiro na sopa miso que no médico.

A sopa miso é muito saudável e é rica em vitaminas e probióticos.
Trata-se de uma pasta à base de grãos de soja e de cevada ou de arroz (dependendo das receitas).

Depois de se fazer a caldo de base, pode-se adaptar a sopa ao seu gosto, usando os ingredientes da sua preferência: cogumelos, couve, marisco, tofu, algas, etc.

Até agora, comprava sempre uns saquinhos instantâneos para fazer esta sopa mas percebi através do que via na Net que afinal a receita original desta sopa é muito fácil e que encontro todos os ingredientes aqui em Montréal nos supermercados asiáticos.

Decidi então experimentar e ficou absolutamente delicosa!

Baseei-me na receita que encontrei aqui: https://www.justonecookbook.com/homemade-miso-soup/

Para 2 porções individuais:
- 5g de alga Kombu
- 2 cups de água (480ml)
- 1/2 cup de flocos de bonito desidratados (5g)
- 1 mão cheia de cogumelos (usei cogumelos shimeji)
- 1 colher de sopa de alga wakame desidratada
- 2 colheres de sopa de pasta miso (usei miso amarelo que é de intensidade média - Shinshumiso)
- 1 mão cheia de cubos de tofu fresco (firme)

Encha uma pequena panela com a água (480ml). Mergulhe a alga Kombu e deixe marinar durante 30 minutos (idealmente durante uma noite inteira).

Leve a panela ao lume, deixe aquecer e retire a alga precisamente antes de a água começar a ferver. (Pode deitar a água fora ou aproveitá-la para outras receitas japonesas, como por exemplo, furikake - tempero para arroz para sushi).

Durante este tempo, mergulhe a alga wakame numa tigela com água durante 10-15 minutos para rehidratá-la completamente. Escoe e reserve.

Deixe o caldo levantar fervura e adicione os flocos de bonito. Deixe cozer durante 1 minuto, desligue o lume, tape e deixe reposar durante 10 minutos.

Retire os flocos, reservando o caldo.

Levante fervura novamente e junte os ingredientes que escolheu para a sua sopa miso. No meu caso, adicionei nesta etapa os cogumelos e deixei cozer no caldo durante 5 minutos.

Desligue o lume e incorpore progressivamente a pasta miso ao caldo com ajuda de um pequeno coador, para ir dissolvendo a pasta sem mergulhá-la diretamente no caldo.

Junte agora os cubos de tofu, tape e deixe reposar.

Meta a alga wakame nas tigelas de sopa e encha com a sopa miso.

Bom apetite!


segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Creme de ameijoa

Olá a todos!

Estou de volta com mais uma receita saborosa e super fácil.

Este creme de ameijoa é uma receita tradicional da costa Este canadiana e americana (Clam chowder).

Cá por casa, é uma das nossas sopas preferidas mas nunca tinha feito esta receita aqui em casa.

Estes dias de Outono são ideias para este tipo de sopas cremosas e decidi experimentar a receita que encontrei aqui: https://lebongoutfraisdesiles.com/blog/2019/03/chaudree-palourde-traditionnelle

Multipliquei a receita por 2 para dar para toda a semana.


- 4 latas de ameijoas cozidas de 140g cada uma (guarde a água)
- 1l de leite
- 250ml de natas
- 3 batatas grandes/médias cortadas aos cubos pequenos
- 4 colheres de sopa de manteiga
- 6 colheres de sopa de farinha
- metade de uma cebola grande picada
- 100g de aipo picado
- pimenta preta moída

Refogue o aipo e a cebola picados na manteiga até ficarem translucidos mas ainda ligeiramente croquantes.
Polvilhe com a farinha e mexa bem.
Junte as batatas e mexa de novo.
Regue progressivamente (sempre mexendo) com o leite, as natas e a água das latas de ameijoas.
Tempere com pimenta 
Misture bem e deixe cozer a lume brando até as batatas estarem cozidas (aproximadamente 10 minutos). Vá sempre mexendo para não pegar ao fundo.
Junte as ameijoas, desligue o lume, mexa bem e deixe reposar alguns minutos antes de servir.

terça-feira, 29 de outubro de 2019

Salada de couve branca cremosa

Aqui no Canadá esta salada de couve é muito popular e resolvi fazê-la em casa porque as que comprava no supermercado já prontas eram demasiado doces para nós e acabámos por enjoar.

Ficou tão boa que faz parte agora integrante das receitas que fazemos frequentemente aqui em casa.



- 1/4 de uma couve branca

- 1 cenoura

- 65ml de maionese (pode substituir por iogurte natural)

- 30ml de vinagre branco

- 1 colher de chá de molho inglês


Corte a couve em juliana fininha e rape a cenoura.

Numa pequena tigela, misture os ingredientes do molho com um batedor.

Misture o molho com a couve e a cenoura e envolva bem.

Deixe reposar idealmente 4 horas antes de servir.

segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Almôndegas recheadas com queijo

Olá a todos!

Hoje trago-vos uma receita improvisada, que foi feita para aproveitar sobras de carne picada depois de ter feito cannellonis.

Saiu muito bem e deu para aproveitar também um resto de queijo ralado que tinha no frigorífico. Nunc se deita nada fora aqui em casa! :)

Peço desculpa pela má qualidade da foto mas foi tirada mesmo em cima da hora e já estava escuro lá fora...

Para 6 almôndegas:

- 500g de carne picada
- 6 colheres de sopa de queijo ralado (udei Emental)
- 3 colheres de sopa de molho inglês (Worcestershire)
- 6g de sal fino
- algumas pitadas de pimenta preta em pó - 1 colher dr sobremesa de alho em pó

Tempere a carne com sal e pimenta e misture bem.

Divida a carne em 6 partes iguais.

Forme uma almôndega com cada parte, abra um buraco no meio, recheie com 1 colher de sopa de queijo e volte a fechar.

Repita a operação com as restantes partes.

Frite as almôndegas numa frigideira antiaderente, polvilhe com alho em pó e regue com o molho inglês durante o tempo que está a fritar. No meu caso, não achei necessário adicionar nenhuma gordura mas se quiser pode fritá-las num fio de azeite.

Deixei fritar aproximadamente 5 minutos de cada lado.

Bom apetite!

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Entrecosto no forno

Olá a todos,

Com estes dias chuvosos e as temperaturas que não param de subir e descer, acho que já podemos declarar oficialmente que estamos no Outono ;)

E durante estes dias chuvosos de Outono, só apetece é pratos no forno bem aconchegantes, não é?

É por isso que resolvi improvisar este prato bem simples e fácil mas muito apetitoso, que servi com puré de batata.




- 2kg de entrecosto
- 200ml de azeite
- 2 grandes dentes de alho
- 26g de sal
- 1 pitada de pimenta preta
- 2 folhas de louro
- 1 colher de sobremesa bem cheia de colorau em pó

Préaqueça o forno a 200ºC.
Num copo alto (uso o copo que veio com a varinha mágica), meta todos os temperos e triture tudo muito bem com a varinha mágica.
Unte o entrecosto com esta mistura e disponha-o num grande tabuleiro. Regue com o que sobrou do molho e leve ao forno durante 45 minutos.
Active a função « Broil » ou « Grill » do forno e deixe assar durante mais 15 minutos para o entrecosto ficar tostado.
Desligue o forno e deixe reposar durante 5 minutos antes de servir.